EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS E EM MATEMÁTICA

EMERSON ROLKOUSKI


Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7329669702482470

Contato: rolkouski@uol.com.br


Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Paraná (1999), mestrado em Educação pela mesma instituição (2002) e doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2006). Professor da Educação Básica durante vários anos, atualmente é professor associado da Universidade Federal do Paraná onde desenvolve atividades de pesquisa, ensino e extensão na área de Educação Matemática.


 


Linhas de pesquisa

1. Formação de Professores que ensinam Ciências e Matemática

3.Alfabetização em Ciências e Matemática
4. História, Sociologia, Filosofia, Educação em Ciências e Matemática

Projetos de pesquisa

1. História e Educação Matemática

Descrição: o projeto tem como objetivo pesquisas que se utilizam da História Oral como recurso metodológico. Hoje os trabalhos abordam a formação de professores de Matemática, os manuais didáticos, instituições de vários níveis e modalidades de ensino nos quais atuam professores de Matemática e dos quais a Matemática faz parte, a História da Educação Matemática, a análise de livros antigos e contemporâneos didáticos ou não, formação e conservação de acervos, constituição de currículos e diretrizes curriculares, políticas públicas, etc. Os projetos têm como pano de fundo a exploração de possibilidades teórico-metodológicas para estudos sobre a cultura escolar e, em particular, sobre a Matemática e a Educação Matemática nessa cultura.

 

2. Alfabetização Matemática
Descrição: O projeto de pesquisa tem como objeto problemas relacionados a alfabetização matemática, seja do ponto de vista do aluno e sua aprendizagem, seja do ponto de vista do professor, sua formação e estratégias didáticas. Neste contexto, pode-se focar também materiais didáticos, sua história e produção, para a faixa etária dos alunos até o terceiro ano, bem como abordar questões curriculares e políticas públicas.

 

3. Educação Matemática e Políticas Educacionais

Objetivo: Abordar temas de Educação Matemática no âmbito de políticas públicas educacionais brasileiras ou internacionais, vigentes ou passadas. Tais estudos poderão se valer de análise documental e/ou entrevistas.

Sugestões de Políticas Públicas:

Brasileiras: CORD, Tempo de Aprender, Gestar I e II, PROFA, MOVA, PAIC.

Internacionais: Maths Hubs (Inglaterra), Aimsec (África).

Sugestão de Referencial Teórico:

ALFERES, M.A. MAINARDES, J. A Recontextualização do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa – PNAIC: uma análise dos contextos macro, meso e micro. Currículo sem Fronteiras, v. 18, n. 2, p. 420-444, maio/ago. 2018.

AVELAR, M. Entrevista com Stephen J. Ball: uma análise de sua contribuição para a pesquisa em Política Educacional. Archivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 24, n. 24, p. 1-18, 2016.

BALL, S. J. Education reform: a critical and post-structural approach. Buckingham: Open University Press, 1994

BALL, S. J.; BOWE, R. Subject departments and the “implementation” of National Curriculum policy: an overview of the issues. Journal of Curriculum Studies, London, v. 24, n. 2, p. 97-115, 1992.

BALL, S. J.; MAGUIRE, M.; BRAUN, A. Como as escolas fazem as políticas: atuação em escolas secundárias. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2016.

BOWE, R.; BALL, S.; GOLD, A. Reforming education & changing schools: case studies in policy sociology. London: Routledge, 1992.

LOPES, A. C. A teoria da atuação de Stephen Ball: E se a noção de discurso fosse outra? Archios Análiticos de Políticas Educativas. Volume 24, nº 25. 29 de fevereiro de 2016.

LOPES, A. C. Analisando a teoria da atuação de Stephen Ball. Conferência. São Paulo: Unicamp, 2014.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Contribuições de Stephen Ball para o estudo de políticas de currículo. In: BALL, S.; MAINARDES, J. (Org.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

MAINARDES, J. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 27, n.º 94, jan./abr. 2006.

MAINARDES, Jefferson; MARCONDES, Maria Inês. Entrevista com Stephen J. Ball: um diálogo sobre justiça social, pesquisa e política educacional. Educ. Soc.[online]. 2009, vol.30, n.106. Acesso em dezembro de 2009.

 

4. Educação Matemática e Currículo

Objetivo:  Abordar temas de Educação Matemática no âmbito da elaboração, implementação ou interpretação de políticas curriculares nacionais, estaduais ou municipais. Tais estudos se valerão de análise documental e entrevistas realizadas de acordo com os parâmetros metodológicos da História Oral.

Sugestão de Referencial Teórico:

APPLE, Michael. A Política do conhecimento oficial: faz sentido a ideia de um currículo nacional. In: MOREIRA, A. F., SILVA, T. T. da. Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Editora Cortez, 2002, p. 59 – 91.

BALL, S. J. Education reform: a critical and post-structural approach. Buckingham: Open University Press, 1994

BALL, S. J.; BOWE, R. Subject departments and the “implementation” of National Curriculum policy: an overview of the issues. Journal of Curriculum Studies, London, v. 24, n. 2, p. 97-115, 1992.

BALL, S. J.; MAGUIRE, M.; BRAUN, A. Como as escolas fazem as políticas: atuação em escolas secundárias. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2016.

CALDATTO, Marlova Estela. O processo coletivo de elaboração das Diretrizes Curriculares para a Educação Básica do Paraná e a inserção das Geometrias Não-Euclidianas. Maringá: UEM, 2011. 261 f. Dissertação (mestrado). Universidade Estadual de Maringá, Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência e para a Matemática.

GARNICA, Antonio Vicente Marafioti.  Pesquisa qualitativa e Educação (Matemática): de regulações, regulamentos, tempos e depoimentos. Mimesis, v. 22, n. 1. Bauru, SP, 2001, p. 35-48.

______. História Oral e História da Educação Matemática: considerações sobre um método. Trabalho apresentado no I Congresso IberoAmericano de História da Educação Matemática, Covilhã, Portugal, 2011.

______. Um ensaio sobre História Oral: considerações teórico-metodológicas e possibilidades de pesquisa em Educação Matemática. Quadrante, vol. XVI, n. 2, Lisboa, 2007, p. 27 – 49.

GOODSON, Ivor F. Currículo: teoria e história. 12 ed.  Petrópolis: Editora Vozes, 1995.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Contribuições de Stephen Ball para o estudo de políticas de currículo. In: BALL, S.; MAINARDES, J. (Org.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom; RIBEIRO, Suzana L. Salgado. Guia prático de história oral: para empresas, universidades, comunidades, famílias.  São Paulo: Contexto, 2011.

MOREIRA, Antonio Flavio; SILVA, Tomaz Tadeu. Sociologia e Teoria Crítica do Currículo: uma introdução. In: _____ (orgs). Currículo, cultura e sociedade. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2002, p. 7 – 37.

SILVA, Monica Ribeiro. Perspectivas Curriculares Contemporâneas. Curitiba: Ibpex, 2012.

SILVA, Tomaz Tadeu. Apresentação. In: GOODSON, I. F. Currículo: teoria e história. 12. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 1995, p. 7-13.

______. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

______. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

VEIGA-NETO, Alfredo. Cultura e Currículo. Revista Contrapontos, ano 2,  n. 4. Itajaí, SC, jan-abr 2002, p. 43 – 52.

 

5: Formação e Atuação de Professores que Ensinam Matemática

 

Objetivo:  Abordar temas relacionados à atuação e/ou formação continuada ou inicial de professores que ensinam matemática (Ensino Fundamental I, II e Ensino Médio). Inclui-se no escopo desse projeto as relações: professor – saber matemático, professor – novas tecnologias, professor – livro didático, professor – metodologias de ensino.