Exatas UFPR

Institucional

Grupo de alunos da UFPR é o Campeão Nacional da 27ª edição do L’Oréal Brandstorm 2019

Grupo de alunos da UFPR é o Campeão Nacional da 27ª edição do L’Oréal Brandstorm 2019

Todos os anos o Grupo LÓréal, com intuito de promover a inovação dentro do mercado de beleza, realiza a competição mundial  L’Óréal Brandstorm. Neste ano, foram cerca de 2.200 inscritos para a competição. A final aconteceu no Rio de Janeiro e o grupo de alunos formado pelos estudantes da UFPR do curso de Química, Beatriz Valença e Eduardo Venturi, e a estudante de Engenharia Química, Carolina Lass, foi o grande vencedor.

Este ano o desafio lançado foi feito em parceria com a Divisão de Cosmética Ativa (DCA) e tinha como premissa a criação da futura experiência de cuidados com a pele para consumidores preocupados com a saúde. Os estudantes fazem parte da Equipe BioBe, que propôs uma solução inovadora para o tratamento da rosácea.

Agora, a equipe BioBe terá que se preparar para apresentar seu projeto na Final Mundial do L’Oréal Brandstorm 2019, que vai acontecer em Paris nos dias 22 a 24 de maio, concorrendo com equipes vencedoras dos 63 países participantes. A equipe que vencer nessa etapa global  terá a oportunidade de passar  3 meses em Paris na Station F, a maior incubadora de empresas do mundo, com o objetivo de desenvolver seu projeto com a orientação de profissionais da L’Oréal e externos. Ao final desse período, a equipe deverá apresentar um protótipo de seu produto e modelo de negócios para investidores e executivos da L’Oréal.

Equipe campeã nacional BioBe ao lado dos jurados e diretores da L’Oréal Brasil. Ao centro os alunos do Curso de Química Beatriz e Eduardo e do Curso de Engenharia Química, Carolina.

ANTÔNIO SÁLVIO MANGRICH, DO DQUI, RECEBERÁ O TÍTULO DE PROFESSOR EMÉRITO DA UFPR

ANTÔNIO SÁLVIO MANGRICH, DO DQUI,  RECEBERÁ O TÍTULO DE PROFESSOR EMÉRITO DA UFPR

O Conselho Universitário da UFPR aprovou na sessão do dia 21 de março a outorga do Título de Professor Emérito da UFPR ao Professor Antônio Sálvio Magrich, indicado pela Direção do Setor de Ciências Exatas em 2017.

A honraria é concedida a professores que se distinguiram no exercício de suas atividades acadêmicas e pelos relevantes serviços prestados ao desenvolvimento da ciência e da Universidade.  A concessão desse reconhecimento ao Prof. Mangrich se deve ao desempenho exemplar nas atividades realizadas visando o crescimento da ciência e também da UFPR, junto ao Departamento de Química.

O Setor de Exatas  e a comunidade do Departamento de Química aproveitam a oportunidade, para reconhecer publicamente o incansável trabalho e o empenho com que o prof. Mangrich tem dedicado ao Departamento de Química e ao Programa de Pós-graduação em Química da UFPR.

 

Foto: Samira Chami Neves

PESQUISADOR DO DQUI NA EDIÇÃO ESPECIAL DE ANIVERSÁRIO DA REVISTA NATURE CHEMISTRY

PESQUISADOR DO DQUI  NA EDIÇÃO ESPECIAL DE ANIVERSÁRIO DA REVISTA NATURE CHEMISTRY

 

Sendo o único latino-americano convidado, o Professor Aldo José Gorgatti Zarbin, do Departamento de Química, compõe a lista de 58 cientistas convidados, a escrever em conjunto, um artigo sobre sua visão acerca do futuro da química e os aspectos mais desafiadores e interessantes relacionados ao desenvolvimento da sua área de pesquisa na química.

Fazendo parte das comemorações ao 10º aniversário da “Nature Chemistry” a artigo final pode ser acessado no link abaixo.

 

Serviço:

https://www.nature.com/articles/s41557-019-0236-7

 

A UFPR NA FASE FINAL DO SOLAR DECATHLON DESIGN CHALLENGE

A UFPR NA FASE FINAL DO SOLAR DECATHLON DESIGN CHALLENGE

Solar Decathlon Design Challenge é uma competição internacional cujo objetivo é projetar edificações que utilizem as mais recentes tecnologias e materiais focados em eficiência energética, energia limpa e renovável, soluções inteligentes e de automação e medidas de conservação de água. Os participantes devem propor edifícios de alto desempenho e prin-cipalmente que produzam mais energia do que consumam. A competição é promovida pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos, em dois segmentos: Construções e Projetos. E, em cada um dos segmentos existem várias categorias. São dez desafios principais que os jurados avaliarão (por isso Decathlon), entre eles o desempenho energético da construção, inovações para a construção civil, estrutura, arquitetura, viabilidade financeira, entre outras.

                 A UFPR, está classificada para a fase final, na categoria Projeto de Escolas, que acontecerá entre os dias 12 e 14 de abril de 2019, na sede do National Renewable Laboratory, em Golden no Colorado. Nessa ocasião, ocorrerá a etapa de apresentação do projeto para as outras equipes, parceiros da indústria e jurados. A equipe UFPR é a única brasileira entre as finalistas e é formada por mestrandos, doutorandos e professores, de diferentes áreas tais como: arquitetos, designers, engenheiros civis e mecânicos, que trabalham neste projeto desde setembro de 2018.

O prof. Msc. Marcio Henrique de Sousa Carboni do Departamento de Expressão Gráfica, que acompanhará a equipe brasileira da UFPR no evento, relata que para a etapa final os alunos do curso de Expressão Gráfica uniram-se a equipe para ajudar a preparar a apresentação, inclusive criando um modelo em Realidade Virtual para apresentação.

 

Serviço:

Para ler mais sobre a competição acesse:
https://www.solardecathlon.gov/about.html

O SETOR DE EXATAS PARTICIPA DO PROGRAMA DE DISCIPLINAS TRANSVERSAIS DA PRPPG

O SETOR DE EXATAS PARTICIPA DO PROGRAMA DE  DISCIPLINAS TRANSVERSAIS DA PRPPG

O Programa de disciplina transversais tem por objetivo ampliar a oferta de disciplinas de caráter formativo ofertando disciplinas com conteúdos de interesse a vários programas de pós-graduação da UFPR, de modo a ampliar o leque de opções do discente, tudo isso aproveitando a experiências dos docentes em sua área de formação e domínio do conhecimento.
O Setor de Exatas é responsável pela oferta de duas disciplinas transversais no primeiro semestre de 2019,  Métodos Estatísticos em Pesquisa Científica¹ sob a responsabilidade do Departamento de Estatística, e Research Data Management em Data Intensive Computing², do Departamento de Informática.

 

A disciplina de Métodos Estatísticos em Pesquisa Científica está sendo ofertada pela segunda vez. Segundo o professor Paulo Justiniano, responsável pela disciplina de estatística, “o que a gente procura nessa disciplina é passar uma visão panorâmica e intuitiva, que mostre como a estatística contribui para a aquisição de conhecimento e para dar sentido aos dados nas mais diversas áreas do conhecimento.” E acrescenta, “o foco é nos conceitos e aplicações e sem ênfase no detalhamento técnico, mas dsicutindo os conceitos de forma intuitiva, mostrando como a abordagem estatística contribui para diversas áreas da ciência”.
A disciplina  Research Data Management em Data Intensive Computing² vinculada ao DAAD Summer School 20193, será ministrada em inglês e é voltada para comunidade acadêmica com algum conhecimento em informática e para usuários de grande volume de dados e/ou criadores de conteúdo, podendo ser aplicado por graduados (mestrado e doutorado) em Ciência da Computação ou áreas afins.
 

Por Marcia Cristina Varella Ehrenfried

 

Serviço:

 1-Informações adicionais sobre disciplina de Estatística no link: http://www.prppg.ufpr.br/site/metodos-estatisticos-em-pesquisa-cientifica-2019-1/

2-Informações adicionais sobre a disciplina de Informática no link: http://www.prppg.ufpr.br/site/research-data-management-in-data-intensive-computing-2019-1/

3-Informações adicionais sobre o Summer School no link:

https://web.inf.ufpr.br/summerschool2019/

 

Projeto Honors na Matemática

Projeto Honors na Matemática

O Projeto Honors, do Departamento de Matemática, é um programa que visa atender estudantes com excelente raciocínio lógico e curiosidade em turmas especialmente criadas para oferecer embasamento matemático aprofundado.

A seleção para a turma honors é feita sempre na primeira semana de aula de cada semestre, e são selecionados de 20 a 30 estudantes por turma.

 

O objetivo é estimular os estudantes que apreciam a beleza da matemática e querem obter uma base sólida para disciplinas mais avançadas de seus cursos.

A iniciativa do Departamento de Matemática conta com o apoio do Núcleo de Estudos e Práticas em Altas Habilidades (Nepahs). “O Projeto Honors é uma ação pedagógica conjunta, muito bem sucedida que visa apoiar professores e estudantes na inovadora iniciativa de desenvolver atividades de enriquecimento curricular na UFPR”, afirma a professora Laura Ceretta Moreira, coordenadora do Nepahs.

 

Ao identificar um estudante com grande potencial de aprendizagem, a UFPR faz acompanhamento adequado ao desenvolvimento psicoeducacional no processo de aprendizagem acadêmica, obtendo resultados como a sensação de pertencimento e maior tranquilidade, fatores considerados pelo Nepahs como fundamentais para que tais estudantes permaneçam nas universidades brasileiras pesquisando e produzindo conhecimento.

 

Em 2019/1, a disciplina de Cálculo I Honors, ministrada pela professora Maria Eugênia Martin, contempla todos os itens do programa da disciplina usual, porém com maior ênfase ao entendimento conceitual, desenvolvendo a habilidade de fazer cálculos.

 

Por Marcia Cristina Varella Ehrenfried

 

Serviço:

1-Para conhecer melhor a Turma Honors acesse:

http://www.mat.ufpr.br/honors/index.html

MULHERES NAS CIÊNCIAS EXATAS

MULHERES NAS CIÊNCIAS EXATAS

Dia 15 de março faremos um encontro para discutir a presença das mulheres no setor de Ciências Exatas da UFPR. O encontro será na parte da tarde e contará com palestras e uma mesa redonda com professoras, alunas e funcionárias do setor. O evento é aberto a toda a comunidade e esperamos contar, principalmente, com as mulheres que de alguma forma fazem parte do setor de Ciências Exatas da UFPR. Se você é aluna de graduação ou pós graduação, professora ou funcionária do setor, você é nossa convidada especial! O evento é aberto a todAs e a todOs independente de inscrição! No entanto, para que possamos organizar tudo da melhor forma possível gostaríamos de saber quem tem intenção de comparecer ao evento.

 O formulário de pre inscrição está disponível no site: http://fisica.ufpr.br/mulheresnasexatas/

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA AS DISCIPLINAS TRANSVERSAIS DO 1º SEMESTRE DE 2019

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA AS DISCIPLINAS TRANSVERSAIS DO 1º SEMESTRE DE 2019

Estão abertas as inscrições para as Disciplinas Transversais que acontecerão no primeiro semestre de 2019, com vagas nas modalidades remotas e presenciais, em que poderão matricular-se na disciplina os alunos regularmente matriculados na pós-graduação stricto sensu da UFPR e docentes credenciados na pós-graduação stricto sensu da UFPR.

O Setor de Exatas está ofertando duas disciplinas. Métodos Estatísticos em Pesquisa Científica¹, ofertada pelo Departamento de Estatística, que acontecerá no Auditório do CIFLOMA – Engenharia Florestal, Campus Jardim Botânico (Avenida Prefeito Lothário Meissner, 632). E, Research data Management em data Intensive Computing², ofertada pelo Departamento de Informática que acontecerá no Auditório de Informática, Centro Politécnico – Av. Cel. Francisco H. dos Santos, 100 – Jardim das Américas, Curitiba – PR.

A matrícula deverá ser feita diretamente no SIGA, no portal do aluno e docente. A previsão de início das aulas é dia 11 de março de 2019 para Informática e 13 de março de 2019 para Estatística, conforme calendário³.

Segundo o professor Paulo Justiniano, que ministrará a disciplina de estatística, “O que a gente procura nessa disciplina é uma visão panorâmica, que mostra como a estatística contribui para a aquisição de conhecimento e para dar sentido aos dados nas mais diversas áreas.” E acrescenta,“A ideia é discutir esse conceito e seu significado de forma não extremamente técnica, mas de maneira intuitiva, mostrando como abordar estatística contribui nas diversas áreas da ciência”.

Sendo a segunda vez ofertada, conclui o prof. Justiniano que a estatística cresceu muito e é ampla e se especializou em procedimentos particulares em algumas áreas.

Na ementa inclui fundamentos de estatística, princípios e áreas de aplicação; métodos descritivos; noções de probabilidades e variáveis aleatórias; amostragem, modelagem e inferência estatística; estudos de caso em aplicações de estatística.

Com a presença de palestrantes internacionais e da Universidade Federal do Paraná, a disciplina transversal ofertada pelo Departamento de Informática, será ministrada em inglês e é voltada para comunidade acadêmica com algum conhecimento em informática e para usuários de grande volume de dados e/ou criadores de conteúdo, podendo ser aplicado por graduados (mestrado e doutorado) em Ciência da Computação ou áreas afins.

Vinculada ao DAAD Summer School 20194, a disciplina consiste em parte da Summer School, criando assim, um conjunto de seminários voltados ao público universitário que utiliza/produz grande quantidade de dados em suas pesquisas e precisa de maneiras eficientes e eficazes de gerenciamento destes dados. Esta última a inscrição será presencial, diretamente no PPGI – Programa de Pós-Graduação em Informática.

Por MARCIA CRISTINA VARELLA EHRENFRIED

 

Serviço:

 

1-Informações adicionais sobre disciplina de Estatística no link: http://www.prppg.ufpr.br/site/metodos-estatisticos-em-pesquisa-cientifica-2019-1/

 

2-Informações adicionais sobre a disciplina de Informática no link: http://www.prppg.ufpr.br/site/research-data-management-in-data-intensive-computing-2019-1/

 

3-Informações adicionais sobre o calendário:

http://www.prppg.ufpr.br/site/blog/2019/02/12/disciplinas-transversais-2019-inscricoes-abertas/

 

4-Informações adicionais sobre o Summer School no link:

https://web.inf.ufpr.br/summerschool2019/

Entidade internacional de química seleciona docente da UFPR em comemoração ao Ano Internacional da Tabela Periódica

Entidade internacional de química seleciona docente da UFPR em comemoração ao Ano Internacional da Tabela Periódica

Em comemoração ao centésimo aniversário e ao ano internacional da tabela periódica em 2019, a IUPAC – União Internacional de Química Pura e Aplicada — uma das principais associações internacionais dessa área de conhecimento — lançou a “Tabela periódica de jovens cientistas” – Periodic Table of Younger Chemists. Jovens cientistas de destaque do mundo inteiro são escolhidos e cada um representa um elemento da tabela. Ao todo serão escolhidos 118 cientistas, sendo que até o momento já foram escolhidos 48. A Prof.ª Elisa foi uma das premiadas, escolhida para representar o elemento Cromo (Cr)2 .

“Fiquei bastante honrada com o reconhecimento e o prêmio”, conta Elisa que recebeu  em 2018,  o prêmio  Green Chemistry for Life e, em 2016, o prêmio International Rising Talents da L’Oréal-UNESCO. Na UFPR é líder do Grupo de Catálise e Cinética, do Departamento de Química.

De acordo com a associação, a tabela periódica resultante das seleções “destacará a diversidade de carreiras, criatividade e dedicação dos jovens químicos que nos levam ao próximo século”. Os vencedores serão apresentados no site da IUPAC100 e receberão um certificado no Congresso Mundial de Química e Assembleia Geral da IUPAC a ser realizado em Julho de 2019.

Para saber mais:

  1. Leia mais sobre o prêmio.
  2. Leia mais sobre a divulgação do prêmio.

Identificação de feromônio da praga de coqueirais pode levar ao controle biológico

Identificação de feromônio da praga de coqueirais pode levar ao controle biológico

 
Coordenada pelo Prof. Paulo Henrique Zarbin, foi publicada no dia 15/02/2019, na coluna Pesquisa do Dia e com destaque na página principal da CNPQ a pesquisa conta com achados inéditos sobre a principal praga que atinge a cultura dos coqueirais na região Norte do Brasil – o besouro Homalinotus depressus.

 

A ideia dos pesquisadores envolvidos é desenvolver uma metodologia eficaz para o controle biológico desta praga que causa perdas significativas para a comercialização do coco em nível mundial.

 

A pesquisa,  descrita no artigo Isophorone derivatives as a new structural motif of aggregation pheromones in Curculionidae (“Derivados de isoforona como nova classe estrutural de feromônios de agregação em Curculionidae”, em tradução livre), foi publicada na revista Scientific Report, do grupo Nature, em 28 de janeiro.

 

Para saber mais acesse o link aqui.

Café da Manhã com as Químicas da UFPR

Café da Manhã com as Químicas da UFPR

 

As professoras Elisa Orth, Camila Silveira da Silva e a Pós-Doutoranda Juliana Paula da Silva, do Departamento de Química, participarão da mobilização internacional para falar das mulheres na ciência. Acontecerá no dia 12 de fevereiro de 2019, às 9 h e 12 h, na sala PQ17, do Departamento de Química. O evento global de café da manhã para mulheres será lançado na Nova Zelândia na manhã de 12 de fevereiro de 2019, e progredirá na região da Ásia-Pacífico para a Europa, África e finalmente para a região americana.

 

A iniciativa é da IUPAC – International Union of Pure and Applied Chemistry, como parte da comemoração do centenário da instituição. A comemoração global, tem como objetivo ajudar as mulheres químicas a expandir sua rede de contatos, tanto local como internacionalmente. Esta será a oportunidade de apresentar alguns dados, sobre as mulheres da Química do Brasil e da UFPR, levantados pelas professoras Elisa e Camila. Após será composta uma roda de conversa, para falar sobre a “Maternidade e Ciência”, onde as professoras convidam mulheres em diferentes fases de suas carreiras, a participar. O evento internacional é intitulado: Empowering Women in Chemistry: A Global Networking Event1.

 

Organizações de todos os tipos, por exemplo, universidades, empresas, sociedades nacionais de química, laboratórios governamentais e outras organizações científicas, bem como grupos individuais de químicos, são convidados a participar. Espera-se que o Café da Manhã Global das Mulheres auxilie as mulheres na expansão de sua rede de contatos, talvez levando a novas oportunidades de carreira para pesquisa, emprego ou educação.

 

Por Márcia Cristina Varella Ehrenfried

 

Serviço:

Link internacional da chamada: https://iupac.org/100/global-breakfast/

Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/607245043049018/

Nas redes sociais, divulgue o evento, poste fotos e vídeos usando as hashtags: # IUPAC100 e #globalbreakfast.

 

Confira a programação aqui:

 

Endereço: UFPR – Centro Politécnico – Departamento de Química – SALA PQ17 – Av. Francisco H. dos Santos, 100 – Jardim das Américas – Curitiba/PR

Colóquio de Encerramento da Escola de Verão de Física de Curitiba

Colóquio de Encerramento da Escola de Verão de Física de Curitiba

O Departamento de física promoverá, no dia 08/02/2019, o Colóquio de Encerramento da Escola de Verão de Física de Curitiba & Workshop on Quantum Thermodynamics, a partir das 16 horas,no Auditório de Administração, localizado no Centro Politécnico, prédio de administração 1º andar. O Colóquio será proferido pelo Professor Luiz Davidovich, do Instituto de Física da UFRJ, atual Presidente da Academia Brasileira de Ciências.

http://fisica.ufpr.br/verao2019/curitiba.html

Setor de Ciências Exatas tem quatro cursos avaliados como “excelente” pelo Guia do Estudante

Setor de Ciências Exatas tem quatro cursos avaliados como “excelente” pelo Guia do Estudante

 
 
A Editora Abril divulgou o ranking de melhores cursos superiores brasileiros no Guia de Estudante. Na avaliação de 2018 quatro cursos do Setor de Ciências Exatas, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), receberam cinco estrelas – atribuição máxima e que confere o conceito “excelente” para as graduações. São elas: Ciência da Computação (Bacharelado); Informática Biomédica (Bacharelado); Matemática (Licenciatura) e Química (Bacharelado).
 
A classificação é feita com base em um questionário enviado e preenchido pelos coordenadores dos cursos avaliados e, também, por um conhecimento prévio que o avaliador da editora Abril possui sobre a faculdade analisada. A avaliação do Guia nos anos anteriores é outro fator considerado.
 
Segundo o coordenador da Informática Biomédica, Lucas Ferrari de Oliveira, o curso de graduação é um dos mais novos no Setor de Ciências Exatas, que nasceu do esforço coletivo entre os Departamentos de Informática, Matemática, Estatística, Anatomia, Biologia Celular, Fisiologia, Bioquímica, Genética e Enfermagem. “O selo consolida um trabalho de 8 anos destes departamentos na formação de egressos cada vez mais capazes de desenvolver soluções nas áreas”. Essa é a primeira vez que o curso recebe cinco estrelas na avaliação. “Informática Biomédica é um curso da UFPR ainda pouco conhecido, mas a área já está se firmando no cenário nacional, com participação efetiva na Sociedade Brasileira de Computação (SBC) dentro do Comitê Especial de Computação Aplicada a Saúde (CE-CAS), na Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS) e na Sociedade Brasileira de Engenharia Biomédica (SBEB)”, argumenta Oliveira.
 
Para o coordenador do curso de Química, Marcio Vidotti, a consolidação da graduação com a avaliação máxima pelo Guia do Estudante – esse é o segundo ano consecutivo que a graduação recebe cinco estrelas – reflete o grande esforço do corpo docente, administrativo e técnico do Departamento. “Nos últimos tempos tem sido realizada uma maior integração com o corpo discente para uma melhor programação de atividades visando uma melhora na qualidade do Curso em todos os aspectos. A grande visibilidade proporcionada pelo Guia do Estudante é sem dúvida motivo de orgulho e nos incentiva cada vez mais a proporcionar um excelente curso para nossos alunos, formando profissionais cada vez mais qualificados para atuarem na sociedade”.
 
Em comparação com a avaliação de 2017, o Setor de Ciências Exatas obteve o dobro de cursos estrelados. Ao todo, a Universidade Federal do Paraná teve 20 cursos avaliados com cinco estrelas.
 
 
Por Maria Fernanda Mileski
 
 
 

Resultado Consulta à Comunidade Setorial para escolha de Vice-Diretor de Setor

Resultado Consulta à Comunidade Setorial para escolha de Vice-Diretor de Setor

Será  realizada, no dia 06 de dezembro de 2018, das 9h às 21h, consulta à comunidade setorial, para escolha do Vice-Diretor do Setor de Ciências Exatas.

Os pedidos de inscrição deverão ser encaminhados à Comissão Eleitoral, mediante requerimento protocolado na secretaria do Setor de Ciências Exatas, das 09h às 12h e das 14h às 17h, nos dias 29 e 30 de novembro de 2018.

Consulte a seguir os Editais 17/18 de convocação da consulta, e 18/18 que divulga o regulamento para a consulta.

Consulte a seguir o edital de homologação das inscrições: Edital 01/18

Consulte a seguir o edital de resultado: Edital 02/18

Resultado Eleições para Chefias de Departamento e Coordenações de Curso

Resultado Eleições para Chefias de Departamento e Coordenações de Curso

Serão realizadas eleições para os cargos de:

a) Chefe e Suplente de Chefe do Departamento de Estatística;
b) Chefe e Suplente de Chefe do Departamento de Informática;
c) Coordenador e Vice-Coordenador do Curso de Estatística;
d) Coordenador e Vice-Coordenador do Curso de Ciência da Computação;
e) Coordenador e Vice-Coordenador do Curso de Informática Biomédica;
f) Coordenador e Vice-Coordenador do Curso de Matemática Industrial;

As eleições serão realizadas no dia 06/12/2018 conforme Edital 16/18 e Resolução 03/18.

Consulte a seguir o edital de homologação das inscrições: Edital 01/18

Consulte a seguir o edital de Resultado: Edital 02/18

Empreendedorismo e inovação serão temas de palestra no Departamento de Química

Empreendedorismo e inovação serão temas de palestra no Departamento de Química

 
No dia 21 de novembro acontece a palestra “Desafios na carreira e nos modelos de negócios inovadores”, promovida pelo Departamento de Química da Universidade Federal do Paraná (UFPR).
 
O evento contará com a presença da professora Elenice Novak, do Departamento de Informática da UFPR. O objetivo é apresentar os desafios de carreira e a postura inovadora diante da dinâmica mundial apresentada em empresas e em centros de pesquisa.
 
Segundo Novak, inovação e empreendedorismo são os pontos centrais do evento – ancorados nos projetos de ensino pesquisa e extensão, e de formação curricular. “Na palestra, vamos discutir sobre a carreira, perfis e tendências que contribuem para o desenvolvimento e a consolidação de modelos inovadores, aplicáveis em diferentes instituições”, explica.
 
A palestra terá uma abordagem contextualizada para a Química, mas é aberta para toda a comunidade acadêmica.
 
 
Palestra Desafios na carreira e nos modelos de negócios inovadores
 
Data: 21/11/2018
Horário: 18h
Local: Auditório do Departamento de Química UFPR
 
 
 

Professor Felix Sharipov, do Departamento de Física, contribui para nova definição do Sistema Internacional de Unidades (SI)

Professor Felix Sharipov, do Departamento de Física, contribui para nova definição do Sistema Internacional de Unidades (SI)

 
Uma nova definição da unidade de medida de temperatura em kelvin, deve ser estabelecida na atualização do Sistema Internacional de Unidades (SI). Este, por sua vez, será apresentado oficialmente na 26ª Conferência Internacional de Pesos e Medidas (CGPM), que acontece na França, entre os dias 13 e 16 de novembro. A nova definição da unidade kelvin teve colaboração do físico Michael Moldover, do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia dos Estados Unidos (NIST), em parceria com o professor do Departamento de Física da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Felix Sharipov.
 
A nova definição do SI pretende estabelecer de maneira mais precisa e confiável todas as unidades, com base em valores fixos das constantes fundamentais das leis da Física. Para a medida em kelvin não é diferente. Atualmente, é definido como 1/273,16 da temperatura do ponto triplo da água – temperatura que os estados sólido, líquido e gasoso ficam em equilíbrio entre si. No entanto, de acordo com o professor Felix Sharipov, a unidade começou a apresentar divergências, pois a composição e comportamento específico da água variam nas diferentes partes do mundo.
 
A partir da nova definição, a unidade de medida kelvin será estabelecida pela constante de Boltzmann, que é universal e muito usada em Mecânica Estatística e Química. Sendo assim, a recomendação é que seja definido de modo que a constante de Boltzmann tenha no SI o valor exato de 1,380649 x 10 ⁻²³ J/K (joules por kelvin). Sharipov esclarece que, nos últimos anos, foram feitos esforços para definir medidas mais precisas dessa constante. “Quando um estudo chega no limite das divergências entre os grupos , o valor é congelado”.
 

Cavidades dos experimentos realizados por Michael Moldover (Crédito da imagem: INRiM, NPL, LCN-LNE).


Foram os métodos desenvolvidos pelo físico Michael Moldover – do NIST – e seus colaboradores, que permitiram chegar aos números da constante de Boltzmann. Os pesquisadores construíram cavidades de vácuo cilíndricas (preenchidas por quantidades rarefeitas de gás nobres) e isoladas do ambiente por uma parede de aço. Foi medida a velocidade de propagação de som pelo gás, a partir da ressonância das ondas sonoras nas paredes da cavidade.
 
Como a velocidade do som em um gás depende da sua temperatura, a variação dela com o aumento ou diminuição da energia cinética dos átomos do gás se vincula ao valor da constante de Boltzmann. As medidas da velocidade do som com o gás nas variadas temperaturas permitiram aos pesquisadores estabelecerem a constante.
 
“A minha parte no estudo foi essa análise de interação da superfície. Usando as definições de contorno, era possível reduzir o erro experimental e congelar a constante de Boltzmann”, relata Sharipov. Sendo assim, para diminuir a incerteza nos números de velocidade do som, os pesquisadores utilizaram modelos de propagação de ondas sonoras – que levam em conta a diferença entre as temperaturas dos meios e da superfície, determinada por uma grandeza chamada coeficiente de salto. O professor, que é especialista em modelagem de gases rarefeitos, calculou os coeficientes de salto para os experimentos.
 
A nova definição do SI deve modificar os conteúdos de livros didáticos em todo o mundo a partir de 2019. Para o professor Felix Sharipov, é gratificante aplicar os estudos que realizou durante toda a sua carreira como pesquisador. “Fico feliz em tentar ser útil para a sociedade e saber que participei de uma coisa que tem grande importância para toda a ciência que lida com medidas, não só a Física”, conclui.
 
Por Maria Fernanda Mileski
 
 
 

Mulheres pela Ciências Exatas: Elizabeth Wegner Karas é professora apaixonada pela sala de aula que inspira alunos dentro e fora da universidade

Mulheres pela Ciências Exatas: Elizabeth Wegner Karas é professora apaixonada pela sala de aula que inspira alunos dentro e fora da universidade

 

A pesquisadora faz parte do grupo de bolsistas produtividade em pesquisa do CNPq em Matemática. No Paraná são apenas duas mulheres, incluindo Elizabeth (Foto: Arquivo Pessoal)


A série “Mulheres pela Ciências Exatas” destaca a carreira de professoras do Setor de Ciências Exatas e o envolvimento delas na produção acadêmica dentro e fora da Universidade Federal do Paraná (UFPR). A terceira reportagem é sobre a professora do Departamento de Matemática e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Matemática, Elizabeth Wegner Karas. Docente da UFPR desde 1990, Elizabeth é reconhecida no campo da Matemática Aplicada e se destaca entre os pesquisadores da universidade. Além de fazer parte do grupo seleto de bolsistas produtividade em pesquisa do CNPq, ela também já recebeu o prêmio Guilherme de la Penha, da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC).
 
A paixão de Elizabeth pela Matemática já dava pistas quando criança. Se tinha uma coisa que a deixava animada era ajudar seu pai (que era o responsável pelas planilhas de compras de materiais para uma empresa de construção civil) quando ele levava “serviço para casa”. Quebra-cabeças de pesquisa de preços, cálculos minuciosos e tabelas eram como jogos infantis. “Meu pai nem imaginava que aqueles momentos marcariam tanto a minha trajetória”, conta.
 
Durante o Ensino Médio, ao cursar o técnico de Desenho Arquitetônico no Colégio Estadual do Paraná, Elizabeth conheceu a sua segunda inspiração no campo da Matemática: a professora Arlete Mendes. Foi ela uma grande incentivadora, ao ponto de pagar para Elizabeth as inscrições para o vestibular em Engenharia Cartográfica, na UFPR, e em Matemática, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná. A aluna fez jus e passou nos dois cursos.
 
O pontapé inicial da professora Arlete Mendes foi só o começo. Elizabeth fez Especialização em Informática na Metodologia do Ensino Superior; Mestrado em Matemática Aplicada, na Universidade de São Paulo (USP); Doutorado em cotutela de tese em Engenharia de Produção, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e em Matemática Aplicada pela Paris I – Panthéon Sorbonne; Pós-Doutorado no Instituto de Tecnologia de Tóquio e Pós-Doutorado na Academia Chinesa de Ciências.
 
UFPR
 
Se tornar professora aconteceu. Há mais de 30 anos dando aulas, Elizabeth começou na PUCPR, até que em 1990 prestou concurso público para lecionar da UFPR. Daqui ela nunca mais saiu. “Eu estou em sala de aula desde abril de 1987. É uma carreira que eu sou apaixonada. Adoro sala de aula, adoro estar em contato com os alunos e acho que consigo transmitir esse gosto para eles”.
 
Além da dedicação em sala de aula, a professora também tem a paixão pela pesquisa na Matemática. No Setor de Ciências Exatas ela é uma referência, resultado também da consciência do seu papel dentro de uma universidade pública. Elizabeth defende que possui uma grande dívida com a sociedade, pelos investimentos que recebeu em sua carreira.
 
“Todo o meu Ensino Fundamental e Médio foram em escolas públicas. No meu Mestrado, dois Doutorados e dos Pós-Doutorados recebi recurso público. Por fim, venho trabalhar em uma universidade pública. Eu tenho que dar esse retorno para a universidade e para a sociedade. E como procuro dar retorno? Dando boas aulas, passando bons exemplos pros nossos alunos e fazendo boa pesquisa”, argumenta a professora.
 
Pesquisa
 
Se faz sentido a expressão “quem conta um conto aumenta um ponto”, Elizabeth se orgulha em contar para todos o primeiro marco em sua carreira na pesquisa. Aconteceu numa noite de inverno, ao conhecer o professor Celso Penteado Serra quando esperavam o ônibus. O encontro fez surgir uma amizade, uma pesquisa sobre fractais e o livro Fractais gerados por sistemas dinâmicos complexos (1997), escrito pelos dois professores.
 
Segundo Elizabeth, fractais são figuras geométricas com padrões repetitivos e alto grau de detalhamento, produzidas por equações matemáticas e que podem ser estudadas e interpretadas por programas de computador. O estudo acabou se mostrando útil, também, para a medicina, quando os professores foram procurados por um aluno do curso da saúde para propor uma parceria em um projeto sobre Aplicação da Geometria Fractal na avaliação de tumores na boca. “Foi uma ótima experiência, que começou com uma conversa de ponto de ônibus. Gosto de ver como as pequenas atitudes diárias podem mudar o ciclo das coisas”.
 
Atualmente, Elizabeth tem se dedicado à pesquisa na área de Otimização Contínua, que tem foco de interesse na minimização ou maximização de uma função. Além de artigos científicos, a professora publicou em 2013 o livro Otimização Contínua: aspectos teóricos e computacionais, com coautoria do professor do Departamento de Matemática da UFPR, Ademir Alves Ribeiro.
 
Nesse campo, Elizabeth faz parte de um projeto de inovação e desenvolvimento em parceria entre a UFPR, Copel e Institutos Lactec. O objetivo é propor estratégias eficientes para o planejamento hidrotérmico do sistema brasileiro. A pesquisadora conta que um dos prazeres deste projeto é a oportunidade de trabalhar com ex-alunas da UFPR, graduadas na primeira turma do curso de Matemática Industrial e doutoras em Métodos Numéricos em Engenharia pela universidade. “Além de estar trabalhando com ex-alunas, o projeto tem sido gratificante por possibilitar a aplicação de algoritmos de filtro, propostos na minha tese de doutorado em problemas reais de grande porte”, relata.
 
De uma professora que investe e faz muita pesquisa na UFPR, Elizabeth se preocupa com o futuro da produção científica no Brasil. Ela conta que, trabalhando na universidade desde 1990, já viu muitas mudanças e a expansão da universidade, principalmente a partir de 2002. “ Vimos o Politécnico mudando e um resgate para trazer os alunas mulheres, alunos negros, alunos pobres para dentro da universidade. Uma política de inclusão que é fundamental. Os tempos agora são outros, eu estou assustada. Um país que não tem pesquisa, fica a mercê dos interesses internacionais”
 
Mulheres
 
Elizabeth é, atualmente, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Matemática (PPGM) da UFPR. Não é a primeira vez que a professora assume esse cargo, e também já participou de comitês na Capes, como a Comissão de Avaliação Quadrienal dos Programas de Pós-Graduação. Essas experiências são importantes no sentido de mulheres ocuparem mais espaços na área de Ciências Exatas, segundo Elizabeth.
 
“Se as alunas na Pós-Graduação e na Graduação não enxergam as mulheres, vão sendo desencorajadas. A proporção de mulheres numa turma diminui bastante da graduação para o mestrado e depois para doutorado. Já tive aluna que eu implorei para vir fazer mestrado, às vezes uma conversa pode ajudar a enxergar que pode ser diferente”, argumenta.
 
Atualmente na UFPR, 45% da turma de calouros dos cursos de Matemática e Matemática Industrial é mulher. No Mestrado do PPGM, 35% dos matriculados são mulheres (5 de 14 alunos), enquanto que no Doutorado o número diminui para 22% (6 de 27 alunos).
 
Diante da diferença entre a presença feminina para a masculina na área da Ciências Exatas, a pesquisadora conta dos esforços realizados para mudar esse cenário. Alguns deles são: o ciclo de debates “Matemática Substantivo Feminino”, que Elizabeth foi palestrante durante o I Encontro Paranaense de Mulheres na Matemática, realizado em Curitiba no mês de abril; e o edital do CNPq, ““Meninas nas Exatas, Engenharias e Computação”, que recebe projetos de pesquisadoras em âmbito nacional e do qual Elizabeth irá participar.
 
Em mais de 30 anos dedicados ao ensino, extensão e pesquisa, que são os pilares norteadores da UFPR, a professora continua dedicada por todo o trabalho que realiza dentro e fora da universidade. “Minhas escolhas sempre foram baseadas na realização pessoal. Parto do princípio de que fazemos bem feito quando fazemos o que gostamos. O resto é consequência”, conclui Elizabeth.
 
Por Maria Fernanda Mileski